Neste sábado (8) acontece no MAV o 1º “Escrita de Mulheres”

Neste sábado, dia 8 de junho, a partir das 14 horas, no Museu de Antropologia, com entrada gratuita, acontece o 1º “Escrita de Mulheres”, uma oportunidade para amantes da literatura e para quem quer explorar e aprimorar suas habilidades de escrita. O evento, com entrada gratuita, é destinado a mulheres a partir de 15 anos e promete uma tarde de atividades literárias, exercícios de escrita e roda de conversa inspiradora. É necessário levar caderno e caneta para anotações

Programação:

Das 14h às 17h: Oficina de Escritoras, com Carol Rodrigues

– Direcionado tanto para quem já escreve e deseja melhorar sua técnica, quanto para aqueles que desejam experimentar a criação literária pela primeira vez. Durante a oficina, serão realizados exercícios criativos baseados em provocações e trechos de textos de grandes autoras brasileiras, como Adélia Prado e Conceição Evaristo, visando soltar as palavras e incentivar a criatividade dos participantes.

Das 17h às 18h: Encontro com as Escritoras Helen Cypriano e Mariana Salomão Carrara. Mediação e Curadoria: Carol Rodrigues

– A conversa vai relacionar a atuação prática no mundo, em sala de aula e na justiça, com a criação artística. De que forma a literatura pode estar em nossas vidas? Processos de escrita, leituras, obras de autoras brasileiras também serão assuntos bate-papo, que contará com tempo para perguntas da plateia.

 Escritoras Convidadas:

– Carol Rodrigues: Escritora de ficção, roteirista, professora e curadora de literatura. Autora de “Sem Vista Para o Mar”, vencedor do Prêmio Jabuti e da Fundação Biblioteca Nacional como melhor livro de contos de 2014. Seu romance “O Melindre nos Dentes da Besta” foi finalista do Prêmio Jabuti e do Prêmio São Paulo de Literatura. Em 2023, lançou “A Mulher do Padre”. Carol ministra oficinas de escrita na Casa das Rosas, SESCs e outros espaços independentes.

– Helen Cypriano: Escritora, pedagoga, livreira e pesquisadora de literatura infanto-juvenil de São José dos Campos. Idealizadora do clube de leitura “Quilombo Literário”, Helen é ativista pela educação com foco nas relações étnico-raciais e pesquisa a inclusão de questões raciais na sala de aula através da literatura.

– Mariana Salomão Carrara: Escritora e Defensora Pública paulistana. Autora dos romances “Se deus me chamar não vou”, finalista do Prêmio Jabuti 2020, “É sempre a hora da nossa morte amém”, finalista do Prêmio São Paulo 2022 e do Jabuti 2022, e “Não fossem as sílabas do sábado”, vencedor do Prêmio São Paulo 2023. Mariana lançará em 2024 seu próximo romance “A árvore mais sozinha do mundo”.

MAIs LIDAS