Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

Plano de reabertura tende a provocar avanço da COVID-19 na região e consequente volta ao isolamento

*Texto de teor analítico e opinativo do Semanário de Jacareí

Não é possível e nem responsável que o Semanário embarque no sentimento de empolgação pelo retorno a certo grau de normalidade incentivado pelo governo do Estado de São Paulo no que diz respeito à Pandemia do Coronavírus. Desde a semana passada estamos procurando evidências, cenários baseados em dados ou qualquer elemento que suporte a ideia de que estamos vendo o risco da COVID-19 diminuir na cidade, o que sustentaria parte da nota enviada pela Prefeitura na semana passada, que afirmava, sobre a disseminação do Novo Coronavírus: “o crescimento está em uma proporção de perda de fôlego, demonstrando uma desaceleração”.

Jacareí – O cenário de redução não é verdadeiro e não se sustentaria em dados até o momento. Estamos crescendo em velocidade e quantidade de novos casos de COVID-19. Jacareí está fechando a semana com 247 casos acumulados de COVID-19, com 16 óbitos, sendo um deles de um homem de 36 anos sem doenças paralelas, ou comorbidades. A média de novos casos subiu, principalmente quando soma-se o acumulado de sete dias (confira gráficos). Procuramos observar dados periféricos para tentar supor algum traço de melhora, mas não há. Por exemplo, o ritmo de novas notificações, que permitiriam levar em conta o atraso que há entre notificação e confirmação, não diminuiu, segue constante. É possível, portanto, prever que os próximos números seguirão crescendo. O que, de fato, está fortalecido na cidade é o atendimento hospitalar, tendo sido inaugurada mais uma instalação de apoio ao tratamento do paciente com COVID-19.
Brasil – O cenário do Brasil é igualmente trágico. O país coleciona tristemente 600mil casos de COVID-19, 34mil mortes pela doença, e segue com incapacidade de testagem em massa e subnotificação.

A narrativa de “perda de fôlego” na cidade parece ter sido posta em equilíbrio pelo prefeito Izaias Santana na segunda-feira (1/6), quando utilizou suas mídias sociais para registrar, em tom de pesar, que a situação não está sob controle e continuamos avançando no contágio. Restou ao chefe do executivo conclamar a população à responsabilidade coletiva.

“É hora de todos começarmos a nos responsabilizar coletivamente pelo que acontece na nossa cidade, pela saúde, pela economia, pela nossa vida. Quem tem o papel mais importante nesta tarefa é você”, diz o prefeito em vídeo publicado. Ele sustenta, no vídeo, a recomendação para que todos que podem fiquem em casa.

Fase 3 – Uma nova ferramenta do CODIVAP (Associação de Municípios do Vale do Paraíba) organiza as estatísticas regionais do combate ao Coronavírus, e, seguindo os parâmetros do Estado, coloca Jacareí como habilitada para entrar na Fase 3 do Plano São Paulo, que permitiria ainda mais relaxamento nas condições de funcionamento de empresas e serviços instalados no município.

Cientistas e observadores do mundo inteiro observam a situação do Brasil com extrema preocupação, e está claro um cenário catastrófico nos próximos dias e semanas.

Temos, ainda, a gestão Bolsonaro que por meio de símbolos e maus exemplos incentiva a ideia insensata de que estamos bem e que contaminação em massa é uma boa ideia.

Estamos diante de uma grande loucura, uma das situações mais inusitadas e perversas que será registrada nos livros de História. Uma população sendo atirada aos grilhões da morte sob a bênção do egocentrismo político.

Nossa recomendação – Por fim, o Plano São Paulo não será eficiente para retomar a economia, pois, iniciado na hora errada, nos fará retornar para o isolamento em casa por mais alguns meses e, o pior, tem o potencial de amplificar, e muito, a contaminação pelo Coronavírus.
Posto isso, recomendamos fortemente que você, jacareiense, procure formas de planejar sua vida para o resto do ano considerando ficar em casa. Será necessário procurar formas alternativas de garantir o pão de cada dia. Sabemos que é um desafio intenso e desesperador, e não podemos tratar de forma diferente. Há quem esteja em situação de privilégio diante disso e há quem esteja em situação de miséria, portanto mais do soluções comunitárias precisam ser pensadas. Dediquemos mais esforço para descobrir como vamos, juntos, segurar a dificuldade financeira até que, sabe-se lá quando, conteremos o contágio da COVID-19.

A responsabilidade coletiva de que precisamos deveria incluir, também, locatários de imóveis comerciais, administrações de condomínios entre outras atividades que precisam considerar que o poder de compra das pessoas está caindo massivamente e precisará ser imposto o bom senso nas negociações, aliviando locações, cobranças, eventualmente considerando cancelamentos.

Não se iluda por achar que o número de 16 pessoas falecidas na cidade por COVID-19 é pouco. São 16 óbitos lamentáveis por uma doença cruel e o risco não é necessariamente limitado ao grupo determinado pela Organização Mundial da Saúde. Toda morte em uma comunidade é dramática, principalmente diante de um inimigo ainda indestrutível como esta doença.

Durante o vídeo do prefeito, mencionado acima, ele evoca a ideia de que Jacareí não é uma ilha, o que justificaria a redução do esforço de isolamento para embarcarmos no Plano São Paulo. Esta metáfora também é trazida pelo poeta e pastor anglicano John Donne, para nos fazer pensar no sentimento de unidade humana diante da importância da vida e o sofrimento da morte:

CITAÇÃO
Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti. – John Donne

Questionamos novamente a Administração Municipal sobre os dados preocupantes docombate à COVID-19. A resposta, por meio de nota, segue:

“O Prefeito de Jacarei, Izaias Santana afirma que, toda política de combate à pandemia ao Coronavírus (COVID-19) é deferida pelo Governo de Estado, conforme ja decidiu o Supremo Tribunal Federal e Tribunal de Justiça de São Paulo. A classificação dos munícipos é de competência exclusiva do Governo Do Estado e ele fará considerando as estruturas municipais, regionais e estaduais. Não haverá nenhuma decisão exclusivamente municipal por ausência de competência.

Sobre a evolução da pandemia e da capacidade hospitalar, esses dois aspectos estão sendo monitorados pelo Governo do Estado, que tratará a região como um todo, já que há uma dependência recíproca dos munícipios e do Estado para todo o enfrentamento, seja epidemiológico ou hospitalar.”

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: