Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

PAGU: onde começa a voz; Live cênica retrata a vida de Patrícia Rehder Galvão

Após a estreia em comemoração ao aniversário de 110 anos de Patrícia Rehder Galvão, dos dias 8 a 11 de junho, o Coletivo Cardinal Seis de Teatro se prepara para a primeira temporada de “Pagu: onde começa a voz – uma live cênica”, que acontecerá de 17 de julho a 8 de agosto. O espetáculo será apresentado em duas partes. A parte 1, adolescência e militância, é apresentada às sextas-feiras e a parte 2, maternidade e maturidade, é apresentada aos sábados, sempre às 20h30.

A peça narra a trajetória de Patrícia Rehder Galvão, a Pagu, através de uma adaptação livre de sua autobiografia, “Paixão Pagu”. Da adolescência à militância, da militância ao desencanto: a trajetória de Pagu em direção aos seus ideais e seus caminhos, que sempre foram urdidos pelas causas coletivas, é o que estrutura nossa narrativa. Em dois anos de pesquisa levantamos um vasto material cênico, e nossa preocupação foi fazer vingar a escrita poética e densa de nossa protagonista em sua verve revolucionária e livre, numa combinação incomum de insubordinação e sensibilidade. Esse espetáculo é sobre como Pagu ressoa em nós, hoje.

Desde 2018, o Coletivo Cardinal Seis está em processo de pesquisa e criação deste trabalho, que é o seu primeiro espetáculo como grupo de teatro, “Pagu: onde começa a voz”, baseado na vida e obra de Patrícia Rehder Galvão, a Pagu. O grupo, dirigido pela diretora de cinema Luciana Canton, pesquisou a técnica Meisner aliada ao procedimento de études (estudos) de Stanislavski, através da improvisação de cenas, um processo que durou dois anos. Com a situação da pandemia, o coletivo, que se viu impossibilitado de seguir seus ensaios presenciais e estrear o espetáculo em junho deste ano, decidiu continuar seu processo de pesquisa à distância, recriando a peça para o formato on-line a partir do material já levantado.

COMO FUNCIONA A LIVE CÊNICA – O espetáculo será apresentado em duas partes, em dois dias, ao vivo. Cada dia irá contemplar dois temas diferentes, sempre às 20h30, com duração aproximada de 50 a 60 minutos. O público, após reservar o ingresso pelo site (www.ateliercenico.com.br/ingressos), receberá um email com seus ingressos para acessar a sala virtual de apresentação através de um link para a plataforma Zoom.

Todas as cenas acontecerão ao vivo, realizadas pelos atores em suas respectivas casas. O público poderá assistir ao espetáculo gratuitamente ou contribuir com o valor a partir de R$ 10,00 por ingresso por cada dia/parte do espetáculo. No final da temporada, dia 8 de agosto, haverá um bate-papo com a diretora, os atores e atrizes.

O Coletivo Cardinal Seis ficará em temporada durante quatro semanas, a partir de 17 de julho, em lives realizadas pelos atores em suas respectivas casas.

Confira a agenda:

SEXTAS: PARTE 1, adolescência e militância. Dias 17, 24 e 31 de julho e 7 de agosto
SÁBADOS: PARTE 2, maternidade e maturidade. Dias 18 e 25 de julho e 1º e 8 de agosto

SOBRE PAGU – Patrícia Rehder Galvão foi uma mulher à frente do seu tempo. Sua existência e atuação a transformaram numa figura provocadora por levantar reflexões sobre a sociedade, a cultura e a política durante os 52 anos de sua vida (1910-1962). Autora do primeiro romance proletário, “Parque industrial”, ela participou do movimento modernista, foi poeta, jornalista, militante política, atriz e diretora de teatro. Hoje, quase 60 anos após a sua morte, as questões que ela enfrentava como mulher, trabalhadora e militante seguem atuais e, por isso, estão sendo colocadas e refletidas nesta montagem.

Este projeto atualiza temas como o lugar da mulher na sociedade, a luta feminista e de decisão sobre o próprio corpo, além das questões socioeconômicas de desigualdade, a militância contra o autoritarismo, o racismo e o conflito existencial diante de uma sociedade limitante e de repressão política.

O COLETIVO CARDINAL SEIS

Desde 2018 o Coletivo Cardinal Seis se uniu em torno da pesquisa de Luciana Canton, premiada diretora de cinema e doutora em Pedagogia do Teatro pela USP. Primeiro trabalho deste coletivo, “Pagu: onde começa a voz” é fruto de uma pesquisa que uniu a preparação corporal dos atores, a técnica Meisner e o procedimento dos études, além do desenvolvimento de uma dramaturgia própria, num trabalho conjunto entre os atores e a diretora.

FICHA TÉCNICA

Direção: Luciana Canton
Elenco: Aguida Aguiar, Camilla Martinez, Edson Duavy, Gustavo Soesi, Gustavo Valezzi, Juliana Yurk, Tatiane Trujillo e Teresa Cecília
Operação de Salas Virtuais: Luciana Canton
Dramaturgia: Coletivo Cardinal Seis. Livremente inspirada nos textos de Patrícia Galvão.
Produção: Gustavo Valezzi
Projeto gráfico e diagramação do site: Juliana Yurk
Assessoria de imprensa: Tatiane Trujillo e Teresa Cecília
Teaser: Gustavo Soesi
Duração: 2 dias, 50-60 minutos por dia (total de 100-120 min)

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: