Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

O QUE É O ESTRESSE?

Em um mundo de constantes mudanças, as transformações, sejam sociais, políticas, religiosas, econômicas ou produtivas, são marcantes em razão dos impactos que exercem na vida dos indivíduos e, consequentemente, na sociedade. Neste contexto, dadas às significativas mudanças que têm ocorrido, as pessoas estão expostas a situações que provocam respostas físicas, psicológicas e psicofisiológicas, que geram a necessidade de adaptação por parte do organismo e o desenvolvimento de novas habilidades, para lidar com a absorção do ritmo e do significado das mudanças, positivas ou negativas, que influenciam todos os aspectos da vida das pessoas. Existe uma confusão no uso do termo estresse; usado, indevidamente, para nomear quando as pessoas estão sobrecarregadas no trabalho, ou em um engarrafamento ou quando perderam algum ente querido. Costuma-se associar somente a situações que tenham conotação negativa. Deve-se realçar que suas implicações podem ser relacionadas a situações prazerosas como: uma paixão, um emprego novo muito desejado, mudança de casa, uma aprovação ou uma promoção, situações que provocam as mesmas reações que provocariam em circunstâncias negativas como: a perda de um emprego, um acidente, pressão no trabalho, conflito com colegas. Assim, qualquer situação boa ou má que exceda a capacidade de o indivíduo se adaptar a ela, pode acarretar o estresse, o conjunto de reações físicas e psicológicas frente a situações da vida que alteram o equilíbrio interno do organismo, promovendo mudanças como: ritmo cardíaco acelerado, aumento da pressão sanguínea e mãos suadas, entre outros. O estresse é o processo fisiológico em que o organismo se encontra ao ser estimulado pelo estressor, caracterizado por três fases: fases de alerta, fase de resistência e fase de exaustão. Os estressores do cotidiano (externos) dizem respeito às condições que acontecem na vida, tais como a segurança social, manutenção da família, a perplexidade e a falta de perspectiva diante do desemprego; são desafios que superam os limites adaptativos levando as manifestações do estresse. Com isso, o desgaste emocional é significativo na determinação de transtornos relacionados ao estresse, como é o caso das depressões, ansiedade e doenças psicossomáticas.

 Os estressores internos são os que fazem parte do mundo interior do indivíduo: sentimentos, sua maneira habitual de ser e de ver o mundo, seu nível de assertividade, crenças, valores, vulnerabilidade e formas de reações à vida. As reações da fase de alerta podem ser diversas, tais como: taquicardia, tensão, diminuição da pressão sanguínea, insônia e fadiga, que é mobilizada em situações de emergência, numa reação de luta ou fuga. É uma reação natural do organismo, tentando se defender e manter a preservação da vida num grande esforço emocional. Na segunda fase, de defesa ou resistência, quanto maior é o esforço que a pessoa faz para se adaptar e restabelecer a harmonia interior, maior é o desgaste do organismo, com manifestações de alergias, cansaço, queda de produtividade, agressividade, depressão, distúrbios gastrintestinais e problemas de memória. No estágio de resistência, se os agentes causadores de tensão persistem e a situação estressante é mantida por um longo período, excedem a capacidade defensiva da fase anterior. A terceira fase, a da exaustão, se manifesta enfraquecendo o organismo e dando lugar a diversas enfermidades e sintomas: angústia, apatia, sensação de impotência em todas as áreas, cansaço excessivo, vontade de fugir de tudo.

Ao se falar de estresse, o mediador essencial é o psicológico, envolvendo um processo de adaptação da pessoa às demandas externas e internas. As externas são representadas por situações e contingências do cotidiano; já as internas se referem à interpretação das demandas externas, por processos cognitivos e psíquicos. Isso, porque as percepções e pensamentos influenciam seus comportamentos e emoções, dada a interpretação que as pessoas fazem sobre os eventos ocorridos em uma situação específica. A maior conscientização das pessoas sobre os processos de doenças, o reconhecimento e a identificação dos sinais do estresse, acompanhados de reações psicológicas, são, portanto, aspectos relevantes e possibilitam o diagnóstico precoce.

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: