Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

Morador de Jacarei recebe o Prêmio Jabuti 2021 na categoria Histórias em Quadrinhos

André Freitas formado em desenho industrial pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e em Quadrinhos e Ilustração pela Fábrica de Quadrinhos, nasceu em São José dos Campos, mas é morador de Jacareí. Ele ganhou o Prêmio Jabuti 2021 de Melhor História em Quadrinhos: “Meta: Departamento de Crimes Metalinguísticos”. A ilustração foi de André Freitas, roteiro de Marcelo Saravá, letras de Dayvison Manes, e cores de Omar Viñole, publicado pela editora Zarabatana Books. A inscrição para o prêmio foi feita pelo  roteirista Marcelo Saravá e concorreu com 10 finalistas.

Em META – Departamento de Crimes Metalinguísticos, parte do assassinato de um desenhista, cujos principais suspeitos são os personagens criados por ele para uma HQ. Nesse contexto entra em cena META, uma polícia secreta que investiga casos ocorridos em universos diferentes, com detetives que atuam nos quadrinhos, teatro, literatura, cinema e quaisquer outras mídias narrativas e quebram a quarta parede para sair desses universos e solucionar os mais estranhos casos. 

Em um exercício estilístico de narrar histórias sobre o ato de contar histórias, o roteiro de Saravá reúne drama, humor, experimentalismo e cultura pop, colocando em discussão a relação das pessoas com as artes. Na parte final da história os personagens da Meta “invadem” outras histórias em quadrinhos, e é aí que acontece essa participação e homenagem a outros artistas.

É como se personagens de um filme entrassem em outros filmes clássicos

Dentro dessa ideia, META conta com a participação especial de personagens conhecidos, como Bone, do autor norte-americano Jeff Smith, e Deus, do cartunista brasileiro Carlos Ruas. Ao todo, a HQ contém 19 artes de quadrinistas brasileiros e internacionais, como Walt Simonson e Laerte Coutinho, além de incluir homenagens póstumas a Juan Giménez e Daniel Azulay, falecidos em 2020. Prêmio Jabuti 2021 de Melhor História em Quadrinhos.

André já ilustrou livros para editoras como FTD, Nobel, Tipo, Conex, Marco Zero e Daemon. Coeditou e publicou histórias em quadrinhos na revista Front da Editora Via Lettera (com o qual ganhou o Troféu HQMIX de Melhor Publicação Mix em 2007).

Em 2013 lançou sua primeira HQ independente “Ozman: Nemesis”, série que continua a produzir e lançar por financiamento coletivo, em 2014 desenhou a graphic novel que adapta o livro “Onde andará Dulce Veiga? ”, de Caio Fernando Abreu (ainda inédito), em 2015 participou da antologia “O Rei Amarelo em Quadrinhos” da Editora Draco.

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: