Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

Fundo 157 – Talvez você tenha direito a receber e não saiba disso!

Artigo de Rogério Nakata.

Rogério Nakata

Diante de tantas notícias ruins, com mais de 90 mil vítimas da Covid-19 (seguindo em ritmo acelerado para 100 mil), 2 milhões e 500 mil infectados sendo que, desde 15 de junho estamos sem um Ministro oficial da Pasta da Saúde, surgem também os aproveitadores da boa-fé mas também da ganância humana através de novos golpes financeiros por meios digitais. Segundo dados da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) o número de golpes virtuais cresceu mais de 50% de Janeiro a Maio.

Bem, a notícia boa no meio disso tudo é que você pode ter recursos extras salvaguardados no chamado Fundo 157. Este Fundo tem sua origem por meio de um Decreto Lei de nº 157, de 10.02.1967 e tratava-se de uma opção que os contribuintes tinham na época de utilizar parte do imposto devido, no momento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, para a aquisição de cotas de fundos administrados por instituições financeiras de sua livre escolha mas, para isso, somente pessoas que declararam Imposto de Renda, nos exercícios entre 1967 e 1983, e que tinham Imposto devido neste mesmo período, são os que podem, ainda, possuir aplicação no referido Fundo. Segundo dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) cerca de 3,5 milhões de pessoas podem ter direito ao resgate sendo que o volume total atual do fundo é de aproximadamente R$500 milhões.

Não há a necessidade de entrar com nenhuma ação judicial para receber os recursos que podem estar disponíveis no Fundo e abaixo segue o passo a passo para providenciar a devida consulta:

1. Acesse o site http://www.cvm.gov.br

Rogério Nakata é Planejador Financeiro CFP®, Agente Autônomo de Investimentos pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e palestrante sobre os temas Educação Financeira e Planejamento Financeiro de grandes organizações.

Foto do destaque: Marcos Santos/USP Imagens

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: