Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

FELIZ DIA DO IDOSO, MEU VELHO

*Por Carlos Guerra

Até o ano de 2006, o Dia do Idoso era comemorado no dia 27 de setembro, isso porque em 1999, a Comissão pela Educação, do Senado Federal, havia instituído tal data para a reflexão sobre a situação do idoso na sociedade, ou seja, a realidade do idoso em questões ligadas à saúde, ao convívio familiar, ao abandono, à sexualidade, à aposentadoria, entre outros assuntos importantes.

Porém, no dia 1º de outubro de 2003, foi aprovado o Estatuto do Idoso, instituído a partir de 1º de outubro de 2006, quando se tornou a data oficial.

Assim, considerando que quem nasce no dia 27 de setembro é mais velho do que aquele que nasce em 01 de outubro, o estatuto do idoso ficou mais jovem.

Com a criação do nosso Estatuto do Idoso, o Brasil começou a introduzir em seu ordenamento jurídico muitos direitos e garantias previstas nas resoluções e organizações internacionais – Organização das Nações Unidas (ONU), Organização Mundial da Saúde (OMS), entre outros.

Em 1982, a ONU elaborou, em Viena, na Áustria, a primeira Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento. Desta Assembleia nasceu o Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento, manifestação que passou a orientar as reflexões, as legislações e as ações a respeito do idoso ao redor do mundo.

Já na Assembleia Geral de 1991, a ONU aprovou a Resolução 46/91, que trata dos direitos dos idosos.

Todas essas leis e resoluções têm como objetivos básicos garantirem ao idoso dignidade e inclusão, os quais só terão efeitos práticos se cada um fizer a sua parte.

Portanto, meu jovem, o que é ser idoso para você? Como você enxerga e convive com nossos anciões e, principalmente, como você está investindo, hoje, na sua velhice, seja no que se refere à saúde física, ao emocional e ao amparo financeiro?

E você, meu velho, está sendo capaz de ver a velhice como uma oportunidade para transmitir os infinitos conhecimentos adquiridos nessa longa caminhada?

Um velho uma vez me confessou, ”O que mais me atormenta em relação às tolices de minha juventude, não é havê-las cometido, e sim não poder voltar a cometê-las”.

Uma vez uma inexperiente repórter perguntou a um senhor que completava 100 anos, como ele tinha conseguido chegar naquela idade. De maneira despretensiosa ele apenas respondeu, “é só não morrer”! E completou o sábio velho, “agora para viver 100 anos bem e com alegria, você tem que ter muito amor pelo próximo”.

Que nesse 1º de outubro e nos demais dias do ano, ame seu velho(a), coroa, idoso, tiozinho, seminovo, vozão, ôi-ôi, pavô, não importando a forma como você o define, o que manda é o carinho.

Finalizo com as sábias palavras de Erasmo Carlos e Roberto Carlos. 

“Esses seus cabelos brancos, bonitos
Esse olhar cansado, profundo
Me dizendo coisas num grito
Me ensinando tanto do mundo
E esses passos lentos de agora
Caminhando sempre comigo
Já correram tanto na vida
Meu querido, meu velho, meu amigo”

E isso aí, meu velho, feliz dia do idoso!.

Carlos Guerra

Carlos Guerra é presidente da OAB Jacareí em 2020

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: