Acompanhe aqui os números da COVID-19 em Jacareí

Agosto de 2020

Benedicto Sergio Lencioni

Benedicto Sergio Lencioni

1º – agosto 1863 – O Jornal do Comércio, de São Paulo, desta data, noticiou o seguinte:

É transido de dor que lhe vou narrar a nova tentativa de morte contra o tenente-coronel Claudio José Machado há pouco vindo do Rio de Janeiro e que tinha ultimamente associado aos liberais, compreendendo talvez o que era o triste domínio do bacamarte aos olhos das autoridades conservadoras. Estamos tomados de espanto e as cartas últimas retificam algumas circunstâncias mal narradas do fato.

No dia 21 do corrente mês (agosto), pelas 10 horas da manhã, um quarto de légua distante da cidade de Jacarehy foi atirado por uma emboscada o Sr. tenente-coronel Claudio. O cavalo em que vinha montado caiu imediatamente morto; a vítima do bacamarte fica em perigo de vida e não sabe se escapará. De seis escravos seus que estavam em uma chácara próxima e que acudiram ao ruído das armas de fogo, dois foram mortos e dois ficaram em perigo de vida.

O lugar, a hora e a audácia dos sicários, a reprodução de um fato não há muito acontecido, as circunstâncias que o revestem, entretém e o espanto geral autorizam os tristes rumores que, para desgraça do tempo, percorrem as ruas da cidade.

Este pergunta, por que não foi punido o primeiro capanga, que tentou dias atrás os dias (?) da vítima, aquele interroga por que foi conservada a autoridade que não soube fazer respeitar a lei e a justiça, aquele outro vê nas circunstâncias do fato a tenacidade na reprodução e na audácia dos executores, não a vingança do pobre que se oculta mas a vingança do poderoso que pesa com igual tranquilidade na balança da justiça o punhal do assassino e a autoridade das leis.

Não espanta, pois, que a primeira autoridade da província fizesse ontem seguir o chefe de polícia para a cidade de Jacarehy, a fim de pesquisar a respeito dos verdadeiros culpados e instaurar-lhes o competente processo. Deus proteja a causa da justiça e entregue os verdadeiros culpados à vindita da lei.

2 – 1914 – Na sessão de Câmara foi efetuada a distribuição às respectivas comissões o projeto de lei autorizando a Prefeitura a mandar erigir no cemitério municipal nesta cidade um mausoléu, até a quantia de cinco contos de reis, na sepultura do benemérito jacareiense coronel Carlos Porto. (OESP – 4/agosto/1914)

2 – 1914 – É aprovado projeto de lei que autoriza a mudança do nome do Largo do Bom Sucesso para praça Conde de Frontin.

Deixe uma resposta

Top
WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: